sábado, 15 de janeiro de 2011

A viagem de carro

A viagem de carro começa fria. O ar que ainda se encontrava dentro do carro, era mais gélido do que alguma vez tinha sido e a fricção entre as mãos era frequente naquele momento pálido e diferente. Um pequeno toque em qualquer superfície do carro, era o necessário para esfriar a temperatura do meu corpo. Lá fora, o tempo também era gélido com muito nevoeiro a camuflar o estrelado do céu que ainda há pouco era visível. Era incrível o momento que se fazia sentir, era incrível o meu estado desconhecido, era incrível a sensação gélida que sentia.
A viagem ia decorrendo com amargura, os meus pensamentos iam sendo projectados mentalmente um de cada vez, mas cada vez mais derrotados. O movimento veloz do carro era observável pelas janelas embaciadas mas eu continuava a não entender o porquê de não conseguir atingir esse rápido movimento. A música também estava bastante alta, os auscultadores vibravam ao ritmo da música, transmitiam muito movimento. Era incompreensível aquele estado mórbido que eu sentia. Encontrava-me encolhida, com a cabeça encostada ao vidro embaciado, estava sentada com as pernas em cima do banco e o ar quente proveniente do ar condicionado do carro estava apenas direccionado para mim. Os meus cabelos pretos baloiçavam devagarinho, com uma certa delicadeza que me ainda era desconhecida. Parecia um momento aconchegante visto por olhos exteriores, mas não era visto assim pelos olhos do meu coração. Encontrava-me vazia, fria, com a mesma sensação gélida que tinha tido no inicio da viagem que já deveria ter desaparecido com o enorme aconchego que o carro e a paisagem transmitiam. Aquela sensação do mais perto mais longe era notória, e a confirmação da monotonia da minha cabeça e do meu coração era dolorosa. Fechar os olhos e adormecer a sentir aquela suave batida proveniente dos auscultadores era uma hipótese, mas isso seria desistir sem antes ter lutado por uma viagem diferente. Eu sei que o movimento do carro continuará a ser veloz e gélido mas basta apenas uma decisão para que tudo seja diferente.

10 comentários:

Gonçalo G. disse...

Acredita, estou sem palavras. Transmitiste tanto com estas palavras, transmitiste mesmo. Parabéns

Gonçalo G. disse...

Só mais uma coisa.. Não desistas já!

Isabel disse...

Gostei imenso *

CLÁUDIA COM. disse...

ADOREI! **

juca ♥ disse...

esta fantastico querida ♥

Fá disse...

Está lindoo :)

juca ♥ disse...

de nada (:

metropolitana disse...

Os teus textos têm algo de especial, mesmo! Têm uma mensagem por dentro deles, que para muitos até pode ser difícil de compreender.

Gostava de saber como te posso ajudar, mas apenas a um click talvez seja complicado.

Força Cátia*

Daniela Ramos disse...

Tanto sentimento neste post.
Beijo linda *

, uma igual a tantas outras @ disse...

Está lindo, adorei.

Vou seguir *