sábado, 17 de setembro de 2011

Super-mulher?

Às vezes sinto-me como uma embriagada do meu corpo que percorre todas as estradas em curvas largas. Na maior parte das vezes apetece-me gritar para que o eco possa resgatar a minha voz e consiga amplificar sobre ruas descalças e casas nuas. Bato em todas as portas para confirmar que foste embora e revisto os contentores do lixo de forma a encontrar todas as etiquetas com o teu nome. Foram dias e virão noites. O meu trabalho é encontrar-te e nada mais que isso. Parece ser um trabalho de super-mulher? Não.. Parece-me mais ser um trabalho de uma mulher apaixonada!