sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Até nem é mau de todo

Gosto de ser fria, muito fria (mas só por dentro). Costumo ser uma pessoa transparente, desligada de qualquer tipo de confusões e novelas, simples, sem nada a comentar ou a criticar mas a frieza costuma ser muito mais forte apesar de se esconder aqui dentro. As pessoas conhecem-me por ser aquela rapariga que não sabe o que faz, que não sabe o que diz, que não sabe o que pensa mas o que as pessoas não sabem é que isso é um disfarçe para tentar esconder ao máximo a frieza que aqui está guardada. Sim, é verdade, eu escondo a minha frieza. Não o faço para não magoar os outros mas sim para não me magoar a mim, eu que sou uma criatura inofensiva que começou há pouco tempo a dar as primeiras passadas no mundo real. Por fora sou uma pessoa fria mas incapaz de expressar qualquer tipo de frieza, mas por dentro sou fria que nem o cubo de gelo. Visto por olhos exteriores até pode parecer ser um pensamento estranho e incapaz de ser compreendido mas há um ponto racional neste pensamento (pelo menos a meu ver). Se a minha frieza fosse expressada cá para fora, ficaria vazia por dentro e ai sim seria transparente e desligada exteriormente e interiormente. Não seria ninguém, mas ninguém mesmo, e é por isso que gosto tanto de ser fria porque no fundo é o que me faz sentir viva.

4 comentários:

CLÁUDIA COM. disse...

Revi-me nas tuas palavras :)

maria gabriella disse...

eu também consigo ser muito fria, não é mau de todo :) e já agora, muito obrigada princesa! :$

Ran disse...

Quem me dera ser assim!

Maria Inês disse...

Escreves tão bem $: