sábado, 19 de novembro de 2011

Palavras que podiam ser minhas (4)

"Ela não estava nos seus melhores dias. Não estava naqueles dias, mas era assim que se encontrava por dentro. Devaneios constantes, sonhos de olhos abertos. Esperança. Esperança de algo que não aconteceria outra vez, ou aconteceria pela metade. Ela queria por inteiro; jamais havia sentido isso. Não estava triste, não estava feliz. Vazia, apenas. Vazia de qualquer coisa, porque quem preenchia havia ido há tempos. Mas, para ela, a dor era recente. Recente por incomodá-la todos os dias. Por mais que forçasse, não era capaz de derramar sequer uma lágrima. Já nem ligava para o que os outros diziam, já nem ligava para os outros. E o seu telefone, bem, essa só tocava para pedir pagamento de qualquer banco. O que ela queria, mesmo, era o seu pagamento de amor. Se fosse ao banco do coração, resolveria? Talvez alguém pudesse cobrar quem lhe ficou devendo. Doou-se toda, gastou cada euro de tempo, de carinho e faliu. Sozinha. Estavam devendo, sim. Devendo dedicação. Não precisava de muito mais do que isso. E, mesmo assim, ela não sentia como se alguém lhe devesse. Sentia-se devendo, e por não ter pago, despejaram-na do coração." Amanda Moraes

8 comentários:

CLÁUDIA COM. disse...

Adorooo *

claudiagomes. disse...

palavras que poderiam ser minhas também

maria gabriella disse...

adorei :) não conhecia a autora*

Maria Inês disse...

:D

Aurora disse...

oh doce, obrigada:)<3

Incógnita disse...

palavras com as quais me identifico

Incógnita disse...

palavras com as quais me identifico..

Niqui disse...

Mesmo.
Gostei imenso do excerto!