segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Corpo que vagueia mas não sente

Esta cama está silenciosa. O quarto está pálido. O corredor está frio. A casa está triste. Eu estou um farrapo sem rumo. O meu coração está na menor velocidade sem capacidade para mais e a cabeça é a única que tenta aguentar este corpo sem alma. Tenta mantê-lo vivo de modo a marcar mais uma presença neste barato mundo. Nem precisa de mostrar que está vazio por dentro, apenas que está ali a pisar o chão e a assumir a sua cruel posição. O modo de baixo rendimento encarrega-se de ajudar a cabeça a fazer algo mais por este corpo não deixando que este se afogue em pensamentos frios e lagos sem fundo. Não passa de mais um corpo sem alma incapaz de permanecer vivo sem algo que o ajude. Ele só precisava de mais uma peça, uma única peça para completar o puzzle, mas quer me parecer que essa peça esqueceu que o corpo tem coração e que este sofre muitos mais do que se pensa.

3 comentários:

Alexandra disse...

Também foi parecido?
Gostei do texto , embora triste mas gostei :)
Beijinhos xana **

Fá disse...

Triste mas lindo! Vais ver que mais tarde ou mais cedo essa peça vai perceber o mal que anda a fazer ao coração ;)

Aurora disse...

lindo amor