quinta-feira, 25 de junho de 2009

Sentimentos repartidos em pedaços

Realmente a vida não é como desejamos e queremos, tudo é uma esfera de emoções disfarçada de uma luz escura que é tenebrosa.
Eu gosto de caminhar pela a areia da praia, sentir aqueles grãos quase microscópicos, sentir o vento das correntes que correm de um lado para o outro, ouvir o som das ondas a rebentarem, sentir que aquele é o lugar ideal para mim… Se um dia decidires vir ter comigo, ao caminhares vai olhando para trás e se o mar apagar as tuas pegadas volta atrás e faz de novo, pois pessoas como tu não podem ser esquecidas.
Quando não estás comigo o tempo para mim passa tão devagarinho, sinto-me sozinha no planeta sem nada para me completar mas na verdade, o tempo para mim passa ainda mais devagarinho do que passava na tua ausência e o porque é simples, há alguns tempos atrás não me andas a dirigir nem uma sílaba de uma palavra o que me decepciona e magoa. É impossível voltar ao meu lugar e por mais que tente eu não consigo porque o tempo não voa, está parado como um objecto imóvel porque faltas tu aqui ao meu lado a cantar.
Estamos longe, seja uma ao pé da outra ou não, e posso-te dizer que o olhar para a janela de qualquer edifício, falar com o vento, contar-lhe tudo para chegar ao teus ouvidos, não serve de nada porque na verdade não me dás a tua mão e não me respondes ao meu pedido de ajuda.
O silêncio é o que eu sinto dentro de mim, o meu coração quase não bombeia e tudo o que me apetece fazer é gritar pelo teu nome no cimo dos Himalaias mas não consigo porque esta angústia emerge e bloqueia as minhas cordas vocais. É como se o meu corpo me incentivasse a desistir mas na verdade a minha cabeça não para de pensar em ti e oiço um eco do teu nome a cada milissegundo.
Vejo vários caminhos a minha frente com várias indicações, sinto-me perdida e não sei o que hei de fazer, estava à espera da tua mão amiga mas tudo o que eu vejo são caminhos longos de pedras grandes e pretas com indicações para a infelicidade… Talvez seja tarde demais para voltar atrás, e talvez o caminho iluminado que existia entre nós tenha desaparecido.
Apetece-me mergulhar numa piscina sem fundo e queria que todos estes sentimentos que pairam dentro de mim saíssem por cada bolha que me saísse da boca e do nariz ao respirar dentro de água, mas infelizmente isso é impossível, porque essas bolhas não passam de bolhas com um vazio lá dentro.
Estou tão cansada de perder tempo com a solidão, estou cansada de tentar perceber o que queres de mim, estou cansada desta situação.
O baloiço em que estou sentada anda da frente para trás e de trás para a frente, sonho em chegar ao cimo do céu para desaparecer por completo, quero evaporar-me como as gotas da água, quero brilhar como as estrelas, quero ser especial como o Sol, quero ser essencial como tu.
Quero que o tempo pare e fique parado para todo o sempre porque tenho medo que o planeta deixe de girar e tu deixares de existir, quero que todos os relógios fiquem sem ponteiros e que os números deixem de fazer sentido, quero que tudo volte ao que era…
Ensinas-te o meu coração a falar e as primeiras palavras foram emotivas mas depois cai e não te vi. Tentei perceber a linguagem das outras pessoas mas não consegui porque só conseguia perceber-te a ti. A loucura anda a rodear-me, eras tu que tornava as coisas fáceis e reais para mim, mas agora chegou o fim.

6 comentários:

nicaaaaaa's disse...

melhor texto mesmo, sem duvida

nicaaaaaa's disse...

eu amoooo-teeee muitooo
ta lindooo meu bem *.*

nicaaaaaa's disse...

melhor amiga :D @

Daniela Neves disse...

adoei este, catjinha.
alias, amei!

Daniela Neves disse...

adorei*

Vans disse...

lindoo, lindo!