sexta-feira, 24 de julho de 2009

Eu não sei...

O sentimento ‘conhecer’ desapareceu e o sentimento ‘desaparecer’ começou a surgir. Eu não quero, eu não consigo… Eu não quero e não consigo… São as únicas palavras que não me saem da cabeça, andam aqui às voltas movimentando-se de um lado para o outro num tom solene e agitado trocando a ordem das letras e virando-se ao contrário como se existisse um espelho a fazer reflexo.
Pergunto-me qual foi o meu erro? Onde e quando é que eu passei dos limites? Eu já não sei se sou eu ou se és tu, mas a minha vista anda a mudar, os céus estão totalmente modificados e os tons de azul que existiam desapareceram e agora não sei o caminho a seguir.
Eu quase consigo ver este sonho com que eu sonho a todo o segundo mas na verdade há uma voz dentro da minha cabeça a dizer que nunca o irei alcançar.
Irá sempre existir uma outra montanha e eu irei sempre querer mudar de lugar, tenho a certeza que será uma batalha difícil e por muitas vezes que irei perder, o quão rápido eu lá chegar e o sobre o que espera do outro lado não irá estar não iram interessar e sim irá ser a subida que fiz para te ver. O meu recorde era ver-te e consegui o superar.
Quando eu choro considero um dia chuvoso e por mais que tentemos não existe nada que possamos fazer para mudar.
As comparações parecem ser facilmente feitas mas são dolorosas ao mesmo tempo, as comparações magoam porque eu não quero ser comparada a ela.
Tu disseste-me para seguir em frente e eu continuo a estar perdida, não me deste qualquer indicação e eu continuo perdida. Ao estar contigo tu proteges-me de tudo, és o meu escudo de protecção e não te quero perder. Já perdi demasiada coisa, já sofri muito, não quero voltar ao mesmo.
O vento sob voa-me a cara, as correntes criam laços à volta e inúmeras palavras chegam-me à pele reluzente, penetrando-se suavemente. Tenho saudades das tuas palavras, tenho saudades de te ver sorrir e contar cada gargalhada que dás, tenho saudades de ti.

Qualquer dia pode ser tarde demais, qualquer dia pode ser tudo diferente, qualquer dia pode já não haver oportunidades…

1 comentário:

Daniela Neves disse...

depois da noite vem sempre o dia, nunca te esqueças disso.
adorei o texto amor