sábado, 20 de março de 2010

Lago

Sozinha neste mundo sem nada a que me agarrar. Flutuo na água com os olhos fechados, com uma única túnica branca vestida e com o coração perfurado cheio de raízes velhas e vergonhosas que deixas-te crescer com a tua ausência. Estas raízes são diferentes de todas as outras, têm uma cor
escura, não resplendecem e sentem saudades de tudo o que se passou. Os pequenos novelos de ar que se conseguiam ver com um pouco de esforço da vista, vagueavam na companhia do vento, segredavam canções e alegrias, o mesmo que nós fazíamos.
Tu agora já não estás aqui e tudo está diferente.


11 comentários:

Anónimo disse...

também gostei muito deste!!

Beijo da Carla. =)

Pedro disse...

minha leona , escreves muito bem. :D (a)
continuas a ser a minha rapariga de sonho e qualquer dia ainda irei a esse montijo. *.*

Pedro disse...

minha leona , escreves tão bem. :D (a)
continuarás a ser a minha rapariga de sonho e ainda irei a esse tal montijo à tua procura. (:

Carolina disse...

Também gosto muito deste. Os teus textos fazem-me voltar ao passaso e sonhar com o futuro.

beijinhos prima.

Ana Ol. disse...

escreves maravilhosamente.

catzona disse...

falas tão bem :o

Sofia disse...

Lindoo ! =)

catzona disse...

oh, não sejas exagerada :c

Pois, eu disse...

Oh obrigada, a sério. :')
Tu também tens textos muito bonitos.
Mais uma vez obrigada. :p
Beijinhos --'

Alguém... disse...

Gostei *.*

Rita Silva disse...

ADOREI *_*
Lindo o teu blog.